Falta de vitamina D - Problema da atualidade

Qual a importância dessa vitamina?

 A vitamina D é fundamental para o equilíbrio do cálcio e do fósforo no organismo e para a saúde do esqueleto. A deficiência dessa vitamina prejudica a mineralização óssea em todas as fases da vida, causando  o raquitismo em crianças e a osteoporose e outras doenças em adultos.

Como conseguimos obter a vitamina D ?

O colecalciferol é a forma de vitamina D sintetizada na pele quando exposta ao Sol. A produção de colecalciferol pela pele depende não só da exposição solar mas também de fatores genéticos, do estado de saúde da pele, da sua cor, do seu estado de envelhecimento e outros fatores.  A quantidade de Vitamina D3 que adquirimos através da dieta é quase sempre insuficiente para as necessidades do nosso organismo, por isso é necessário outras fontes da Vitamina D além da dieta, como a síntese cutânea ou reposição com suplementos.

Como sabemos se temos falta de vitamina D?

A 25 hidroxiVitamina D (25 OH VD) que dosamos no sangue é o colecalciferol depois de passar pelo fígado. Já a 1,25 dihidroxiVitamina D é a forma ativa da Vitamina D que surge após sua passagem pelos rins.   

Quais são os níveis normais de 25 OH Vitamina D na dosagem sanguínea?

  • Suficiência: > 30 ng/mL
  • Insuficiência: 30-20 ng/mL
  • Deficiência: < 20 ng/mL
  • Deficiência grave: < 5 ng/mL

 

Quais são os efeitos da vitamina D no nosso organismo?

1- Há os efeitos chamados calcêmicos que são mediados pelo calcitriol, que é a forma ativa da Vitamina D e estão relacionado aos ossos e ao metabolismo do cálcio:

  • aumenta a absorção intestinal de cálcio e fósforo
  • aumentar a reabsorção de cálcio nos rins 
  • reduz a secreção do Paratormônio (PTH): hormônio que dentre muitas outras funções induz a redução da densidade dos ossos (ou seja, ficam mais fracos quando este hormônio está alto)

2- Há os efeitos chamados não calcêmicos sendo que nem todos  ainda estão comprovados:

  • regulação do sistema autoimune - reduzindo a incidência de algumas doenças como Diabetes Mellitus tipo 1, Esclerose Múltipla, e melhorando imunidade contra algumas doenças infecciosas
  • redução da resistência periférica a insulina - reduzindo a incidência de Diabetes Mellitus tipo 2
  • redução da Hipertensão e do risco cardiovascular - através da redução da secreção renal de renina
  • redução da proliferação de alguns tipos celulares, reduzindo incidência de alguns tipos de câncer como o de cólon, de mama, de próstata, além de doenças como psoríase
  • redução da fraqueza e dor muscular, reduzindo incidência de quedas e de fraturas 

 

Seria possível conseguir todo esse aporte de Vitamina D somente através da alimentação, sem precisar de suplementos ou exposição solar?

As fontes dessa vitamina na alimentação são basicamente ovos, peixes, óleos de peixes, gordura de leite e alimentos fortificados. Ou seja, está presente em uma dieta rica em gorduras, o que é contrário à tendência atual, que estimula a exclusão de alimentos gordurosos para manter ou diminuir o peso corporal e diminuir o risco de hipercolesterolemia.Veja alguns exemplos:

Alimento Porção Quantidade de Vitamina D Quantidade para suprir a necessidade mínima diária (200UI)*
Queijo Cheddar 1 cubo de 2,5 cm 2UI 100 cubos
Leite 250 mL 103UI 500 mL
Ovo de galinha 1 ovo grande 16UI 12,5 ovos
Sardinha 250 mL 428UI 125 mL

*não é recomendado suprir com apenas um alimento

Seria possível conseguir a Vitamina D necessária apenas com a luz solar?

 

A forma mais fácil e natural de obter Vitamina D é a partir da exposição à luz do Sol. Apenas 15 minutos por dia de exposição ao Sol de verão, mesmo que somente nos braços, rosto e mãos, já aumentam a produção de Vitamina D. No entanto esse hábito é contrário à tendência atual de diminuir a exposição solar: tanto para prevenir câncer de pele, como por fatores estéticos ou hábitos da vida moderna com escritórios fechados, jornadas noturnas. Ressalta-se também que quando os níveis estão muito baixos é difícil recuperea-lo apena com o sol, sendo importante a reposição com suplementos.

 

Qual a dose diária de vitamina D que necessitamos?

É difícil estabelecer a dose diária recomendada para a vitamina D, devido a influência da exposição ao sol e de outros fatores ambientais, como latitude, estação do ano, hora do dia e fatores relacionados ao próprio indivíduo e seus hábitos. Para a manutenção de um nível normal de Vitamina D no organismo em geral é recomendada a ingestão de  200 a 400 UI de colecalciferol por dia. Níveis maiores que 150 ng/mL são capazes de levar à toxicidade mas já se sabe que a suplementação com valores de até 10.000 UI/dia não levam à intoxicação.

 

 

Dra. Lorena Guimarães Lima

 

0
Sem avaliações